Avançar para o conteúdo
História

História

A história da Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere não deixa de estar associada a uma realidade que é a história dos “soldados da paz” no nosso país.

A história dos bombeiros como realidade é uma história de sucesso. Efetivamente, as suas raízes mais longínquas remontam, em Portugal, aos finais do seculo XIV. D. João I, através de Carta Régia, determinava que os carpinteiros e calafates deviam acorrer aos incêndios com seus machados e as mulheres com seus cântaros ou potes.

História
Carta Régia de D. João I

Apesar do Associativismo ter apenas surgido no século XIX, mais concretamente em 1868, a verdade é que o voluntariado existe desde tempos imemoriais. Em Lisboa, foi criada a Companhia de Voluntários Bombeiros, transformada, em 1880, na Associação de Bombeiros Voluntários de Lisboa, a mais antiga do País e ainda existente.

A conjuntura politica e social, que então se vivia permite explicar não só o surgir do Associativismo, no âmbito dos bombeiros, como o seu incremento nas décadas imediatas, fruto do espirito de solidariedade e do abnegado sentimento de fraternidade de um povo que foi sempre pequeno nos limites das suas fronteiras, mas grande na alma e nas suas raízes históricas.

Em pouco mais de três décadas foram criadas 82 Associações de Bombeiros Voluntários de cariz privado. Fez-se depois um percurso com vários marcos importantes, que refletem a capacidade de adaptação do setor, perante a evolução da sociedade.

A 28 de abril de 1947, enquanto a Europa se erguia, aos poucos, da devastadora II Guerra Mundial e a vizinha Espanha ainda curava as cicatrizes da Guerra Civil, um grupo de ferreirenses fundou a Associação Humanitária dos Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere.

História
Corpo de bombeiros diante da Câmara Municipal de Ferreira do Zêzere

No início não havia corpo de bombeiros, era só uma coletividade, tendo sido criado apenas em 1948 o 1º corpo ativo de bombeiros, com os seguintes elementos:

José Nunes Laureano – 43 anos;
Joaquim Ribeiro Nunes – 21 anos;
Manuel Antunes Sousa – 27 anos;
Manuel Nunes Ferreira – 29 anos;
Joaquim Vicente Marques – 24 anos;
António Saraiva Galinha – 22 anos;
José António Alves Franco – 27 anos;
Daniel Lereno Menezes – 23 anos.

O primeiro quartel dos Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere ficava situado dentro da vila, na Rua D. Nuno Rodrigues e a primeira sirene foi montada no edifício da Câmara Municipal.

Entre 1948 e 1971, o corpo de bombeiros era constituído por cerca de 30 bombeiros, tendo em 1971, sido criado o primeiro corpo activo feminino com cerca de 12 elementos.

O primeiro telefone dos Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere estava colocado no Café do Salomão, que quando recebia uma chamada de incêndio, deslocava-se ao edifício da Câmara Municipal para tocar a sirene.

Caso fosse uma chamada de saúde, deslocava-se ao quartel para ir buscar uma ambulância para efetuar o serviço. Na época, quando soava a sirene para um incêndio, demorava cerca de 30 minutos até que saísse a primeira viatura.

Em 1971, o telefone foi transferido para a GNR, que se encarregava de chamar os voluntários para as diversas ocorrências. Na época eram efetuados, em média, três serviços de saúde por semana.

História
Inauguração do atual quartel na Rua Alfredo Keil, em Ferreira do Zêzere

A 8 de julho de 1973 foi inaugurado o novo quartel situado na rua Alfredo Keil, que foi construído com donativos de sócios. Em 1976 foram criadas as primeiras escalas de serviço, para determinar a que serviços poderiam ocorrer cada elemento.

A realidade atual é bem diferente do passado, sendo o serviço distribuído por escalas compostas por elementos profissionais e voluntários. Caso haja um alerta de emergência, a saída de uma viatura tarda apenas breves instantes.

A 30 de abril de 2022, celebrou-se o 75º aniversário da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere, tendo sido homenageados os anteriores comandantes da corporação, até 2018: Manuel Laureano (1948-1950), Mário Simões (1950-1958), António Graça (1958-1970), António Faria (1970-1978), Manuel Fernandes (1979-1981), José António (1981-1982), Armindo Antunes (1982-1993), António Jesus (1993-2006), Pedro Mendes (2006-2011), Rui Patrício (2011-2015) e Pedro Carraço (2016-2018)

História
Corpo ativo na celebração do 75º aniversário da Associação Humanitária de Bombeiros Voluntários de Ferreira do Zêzere